23 de jun de 2011

A mobilização do ativismo canábico no mundo virtual

Qualquer ativista político que tenha ambições reais de mudar alguma coisa precisa considerar a Internet como principal canal de disseminação de novas ideias. Se no passado recente a produção de informação estava restrita aos grande conglomerados de comunicação, hoje o cidadão comum dispõe de ferramentas livres e gratuitas que possibilitam revelar uma nova verdade em escala global. Neste contexto, o ativismo de legalização da maconha pode encontrar o caminho para acabar com um século de política repressiva.
De fato a Internet mudou a velha lógica do processo de comunicação de Um transmitindo para Muitos. O começo desta mudança surge com a popularização de blogs e sites pessoais, quando Alguns passaram a produzir para Muitos. Mas não demorou para que a popularização de redes sociais colocasse qualquer internauta como fonte produtora de informações que podem ser replicadas infinitamente.
O fortalecimento do ativismo canábico no mundo virtual não depende apenas da produção de conteúdo por sites, blogs e fóruns. A disseminação massiva de ideais libertários pelas redes sociais - como o Twtter e o Facebook - é uma importante estratégia para despertar atenção daqueles que pouco se interessam por esta questão.
Aquecer o debate no mundo virtual inevitavelmente também vai despertar o interesse da imprensa sobre o assunto. Com a ciência e o racionalismo do nosso lado, o debate contra os velhos mitos proibicionista pode render momentos memoráveis na desmoralização do fracasso da guerra às drogas e todas as lendas criadas para criminalizar a maconha.
Entender a forma como a informação circula pela Internet é algo que precisa ser levado a sério por qualquer ativista, mesmo aquela que não produz nenhum tipo de conteúdo em sites ou blogs. Ao leitor-ativista cabe o importante papel levar estas ideias para aqueles que ainda acreditam na utopia de construir um mundo sem drogas e que a maconha é a Erva do Diabo. O discurso proibicionista precisa romper as barreiras do ambiente em que todos já foram convencidos do fracasso da Guerra às Drogas.
Vivemos em um país que aos poucos começa a consolidar a Internet como uma ferramenta de comunicação acessível a todos. Este momento, em que as classes mais baixas começam a descobrir um novo mundo de fonte de informações, é fundamental para o fortalecimento do discurso anti-proibicionista na web. Afinal, os moradores de regiões carentes são as maiores vítimas da guerra às drogas.

Retirado de http://www.cabecaativa.com.br/content/mobilizacao-do-ativismo-canabico-no-mundo-virtual

Nenhum comentário:

Postar um comentário